O Poder da Revisão

Já aconteceu de começar a ler um assunto pela segunda vez e sentir como se nunca houvesse lido aquilo?

Isso é bastante comum, já passei algumas vezes por esta situação.

O segredo para isso não acontecer está nessa Técnica de Estudo: A REVISÃO.

Mas apesar de sabermos que deve ser usada, eis algumas dúvidas bastante frequentes:

– Como fazer Revisão do que estudei?

– Quando devo Revisar?

– Qual Técnica usar?

Alguma dessas dúvidas lhe é familiar?

Antes de falarmos dos temas acima listados, de modo a potencializar seu rendimento, gostaria de comentar um pouco sobre os motivos que temos para Revisar.


POR QUE REVISAR O QUE ESTUDAMOS?


1.Nossa Memória é falha.

A resposta é simples. Revisamos porque não conseguimos guardar tudo que estudamos. Na verdade não conseguimos lembrar de quase nada se não tivermos um esquema de revisão já planejado.

Um dos primeiros estudiosos do assunto foi o alemão Herman Ebbinghaus. É dele os estudos que resultaram na famosa Curva do Esquecimento. Não vamos detalhar suas pesquisas para não fugir do assunto.

Se tiver paciência vou lhe explicar um pouco sobre essa curva.

Veja que o gráfico “começa” com conhecimento 0% e no dia 0. Veja também que no início do estudo você está zerado (sem conhecimento sobre aquele assunto) e logo em seguida (01 hora depois, por exemplo) você atinge 100% do conteúdo. Isso teoricamente, visto que você pode passar 01 hora lendo sem ter absorvido nada do conteúdo.

Repare que nos primeiros dias (em menos de 07) você já esqueceu quase tudo, 30 dias depois tem bem pouco guardado.

Claro que isso não vale para todo mundo. Há pessoas que conseguem lembrar do que estudaram mesmo depois de vários dias.

Mas se você for como eu, após alguns dias sem revisar a impressão que fica é que você nunca leu aquele assunto.

Agora repare naquela linha “laranja”. Ela nos informa o seguinte, que uma revisão de 10 minutos é capaz de trazer de volta “quase todo” o conhecimento estudado. Numa segunda revisão você precisará de menos tempo ainda, no exemplo 5 minutos, para reavivar suas lembranças.

Fica clara a importância da Revisão, pois o estudo do concurseiro é muito diferente daquele estudo de quem vai fazer prova de faculdade. Quem não já estudou no dia anterior a prova e conseguiu tirar nota máxima? Mas isso quer dizer que você aprendeu? Claro que não. Quer dizer que você decorou o assunto para no dia seguinte despejar na prova tudo que leu. Mas se fizer a mesma prova dois dias depois sem revisar, pode acontecer de tirar uma nota muito menor.

Já no concurso o estudante pode passar alguns meses tendo que esperar o dia da prova, e se estudar apenas uma vez o assunto corre o risco de chegar esse dia e não lembrar mais de nada.

2. Para ganhar tempo.

O segundo motivo para revisarmos é o TEMPO.

Infelizmente muitos ainda pensam que revisar é perder tempo, mas é justamente o contrário.

Você já deve ter percebido que a primeira vez que tem contato com um assunto precisa de um tempo considerável para assimilar o conteúdo. Já para fazer uma revisão deste assunto, se o intervalo for correto, precisará de muito menos tempo.

Digamos que determinado assunto você precisou de 01 hora para ler todo o conteúdo, já para revisar é bem comum levar apenas alguns minutos.

Mas se o intervalo entre o que estudou e a revisão for grande pode acontecer de levar o mesmo tempo que estudou a primeira vez para fazer essa revisão. É o famoso pensamento: Parece que nunca estudei isso na vida.

Vamos para a parte prática do artigo.


#Técnicas de Revisão

1. RESUMOS

O ato de resumir é basicamente transcrever parte do que está estudando para um caderno ou mesmo computador, filtrando as partes mais importantes para uma posterior revisão. Há quem goste bastante desse método, mas há também os que consideram uma maneira não muito eficiente para revisar.

Por meio dos resumos você:

– Separa as ideias principais de ideias secundárias;

– Exercita o uso de vocabulário próprio;

– Adquire vocabulário;

– Desenvolve a habilidade de síntese;

– E principalmente, fixa e entender o assunto;

VANTAGENS:

– A maior vantagem é que o resumo força ao estudante ler todo o conteúdo. E mais, durante a leitura tente a identificar os pontos principais, fazendo com que o aluno tenha uma leitura mais atenta e minuciosa.

– É uma técnica simples, não necessita saber de maiores detalhes para iniciar.

– Durante a leitura do próprio resumo o aluno pode acrescentar mais informações, fazendo-o mais completo a cada leitura.

DESVANTAGENS:

– Para fazer essa transcrição é um pouco demorado, o que rouba um pouco do tempo já escasso.

– Muitos abandonam a ideia de fazer resumo com o passar dos dias, justamente por achar trabalhoso escrever ou digitar esse resumo.

Eu mesmo tenho vários resumos de partes de disciplinas, raramente consegui ir até o fim.

– Não é de fácil manuseio, mesmo sendo um caderno ou notebook.

– O resumo geralmente é para pessoas que precisam de movimento e imagem para aprender melhor. Não é propriamente uma desvantagem, mas se não for sua forma de aprender pode lhe trazer frustração.

Antes que eu me esqueça de falar, essas técnicas não são excludentes. Você pode usar mais de uma, ou todas, a depender da disciplina estudada, ou da forma como aprende.


Flash Cards

Como o próprio nome indica, Flash Cards são pequenos cartões onde escrevemos algum conteúdo que desejamos revisar rapidamente.

O tamanho dos cartões é variável, irá depender de onde você irá guardá-los e de como pretende usar.

Eu já usei certa vez da seguinte forma. Cataloguei todas as súmulas do TST que me interessavam para o concurso e coloquei várias em uma folha A4, recortando cada uma mais ou menos do tamanho de uma carta de baralho.

Guardava esses cartões no “quebra-sol” do carro, assim, todas as vezes que o trânsito parava eu tinha em mãos várias súmulas para ler.

Como devem ter entendido, os cartões são utilizados para revisões ainda mais rápidas.

O alemão Sebastian Leitne desenvolveu esse método de aprendizagem na década de 70, o seu método consistia no seguinte. Havia uma pergunta de um lado e a resposta do outro lado do cartão, o aluno ia verificando se acertava ou não, colocando de um lado os cartões que acertava as resposta e do outro os cartões que errava.

Você também pode fazer isso, colocar perguntas e respostas no cartão, não somente colocar “lembretes”.

Vamos falar de algumas vantagens e desvantagens desse método.

VANTAGENS

– Permite uma rápida visualização

– Pode ser usado em momentos de pouco tempo, como filas de banco, dentro do ônibus, no trânsito etc.

– Podem ser separados por temas, assuntos, disciplinas, o que facilita o acesso à informação.

– Facilidade de guarda e transporte (a depender da quantidade).

DESVANTAGENS

– Cada Flash Card contém pouco conteúdo

– Necessita de um bom poder de síntese pelo aluno

-Por ter pouco conteúdo em cada cartão, para cobrir um assunto extenso necessita-se de vários cartões.

– Não é muito prático para ordenar, podendo se tornar confuso o manuseio.

3.Livro Sublinhado

Muitos pensam que sublinhar o livro é apenas para destacar o mais importante do que foi lido e depois nunca mais ler. Outros pensam não conseguem interpretar o que é mais importante no texto e sublinhar a página inteira.

Mas a principal função de sublinhar o conteúdo é poder REVISAR com maior facilidade o assunto, pois, teoricamente, você sublinhou o que realmente importa no texto, podendo fazer uma leitura bem mais rápida quando for revisar.

Uma das dicas que tenho para dar sobre esse tema é o seguinte. Procure sublinhar apenas na segunda leitura, pois na primeira leitura você ainda não tem certeza do que é realmente importante. Se não aguentar esperar para a segunda leitura, ao menos sublinhe bem pouco na primeira, deixando para “completar” na segunda.

Ah, é claro que essa técnica serve também para Pdf’s impressos.

É importante também ter um bom material para sublinhar, prefira cores fortes, o cérebro gosta disso, de preferência escolhendo funções diferentes para cores diferentes. Algo assim: Verde/Importante, Amarelo/Atenção, Vermelho/Já Caiu em Prova.

Procure na internet algum artigo que trate especificamente do assunto para aprender a usar essa técnica com precisão.

4.Mapas Mentais

O mapa mental é uma técnica de organização do pensamento criada pelo inglês Tony Buzan na década de 70. Podendo ser usado para um infinidade de assuntos, eu mesmo uso bastante, inclusive quando vou escrever estes artigos eu utilizo essa técnica.

E uma das funções dos Mapas Mentais é o da REVISÃO, além disso já é em si uma forma bastante interessante de estudar, pois na sua confecção o aluno é forçado a resumir, organizar, hierarquizar e fazer relações sobre o assunto.

A técnica necessita de bastante criatividade do aluno, e quem sabe desenhar um pouco leva certa vantagem rsrs.

Algumas dicas, retiradas do site da uol educação, para fazer melhor uso dessa técnica:

1 – Comece com folha de papel sem pauta horizontal

2 – Tenha cores diferentes

3 – Esteja atento às palavras-chaves e principais conceitos

4 – Identifique o tema, matéria, capítulo

5 – Use letra de forma, para ser mais legível

6 – Use letras grandes, pois elas estimulam o canal visual e agilizam as revisões

7 – Abrevie as palavras o máximo possível

8 – Escreva do centro para as extremidades

9 – Quebre os temas principais em níveis, de acordo com o grau de importância

10 – Abuse de imagens, desenhos que simbolizem o conteúdo abordado

Existem diversos sites e softwares que facilitam elaborar os mapas, alguns sites inclusive disponibilizam o mapa já pronto, o que não tem muito sentido, pois o aprendizado acontece também no momento da elaboração do mapa.

5.Leitura do Conteúdo novamente

Sei que parece meio óbvio, mas às vezes temos que ler tudo novamente, mas nesse caso, se você já leu várias vezes o assunto e mesmo assim não consegue absorver de forma completa tente mudar de autor, material, fonte, às vezes uma abordagem diferente do autor faz com que o aluno entenda melhor o assunto, e como você já o leu em outras fontes, utilizando uma segunda como revisão lerá muito mais rápido.

6.Questões

Já escrevi um artigo completo sobre a importância das questões. Uma das principais funções das questões é permitir uma boa revisão direcionada.

Para isso é necessário que você:

  • Separe questões sobre o assunto que irá revisar (de acordo com a banca, ano, nível, cargo, etc)
  • Responda todas as questões (não faça pela metade e nem fique escolhendo quais responder)
  • Verifique as questões que errou e procure o motivo do erro, se necessário procure em seu material e faça a releitura do assunto, neste momento é interessante colocar do lado do assunto: questão de prova
  • Anote seu percentual de acerto.

Acho que pelo que falamos até agora você já percebeu que não existe A MELHOR técnica para revisão, e nem são essas as únicas.

Deve ter percebido também que muitas são complementares, podendo ser usadas para situações específicas.

Sendo assim, cabe a você decidir qual ou quais usar. E saber exatamente qual Técnica traz maiores benefícios para a Revisão.

Gostaria também, antes de seguir, de lembrar qual o principal objetivo da Revisão: Garantir que na hora da prova a informação que você precisa possa ser recuperada do seu cérebro prontamente, ou seja, a revisão irá fixar a informação de forma definitiva.

Seguindo, vamos falar de outro aspecto importante da Revisão.


#QUANDO REVISAR?

Como disse acima, o ato de Revisar tem como objetivo principal fixar o conteúdo.

Portanto, é lógico que só se pode revisar após a leitura do assunto em questão.

Mas quanto tempo depois de ler o assunto devo revisar?

A resposta é um meio termo. Não faz sentido revisar depois de muito tempo, visto que talvez tenha esquecido muito do que estudou, por outro lado também não será produtivo revisar logo em seguida do que leu por ainda ter tudo na memória.

Darei um exemplo pessoal para que fique claro como você pode utilizar as técnicas de revisão em seu estudo de algumas formas diferentes, veja.

1. No decorrer do assunto

A Disciplina será Direito Administrativo, o assunto: Ato Administrativo. Mostrarei 03 semanas (fictícias) de estudo para que possa visualizar melhor.

Suponhamos que eu tenha o seguinte “esquema” de estudo para esta disciplina na primeira semana:

Semana 01 Segunda Quarta Sexta
Ato Administrativo/Leitura Ato Administrativo /Leitura Ato Administrativo /Leitura

Observe que usei minha primeira semana para ler a parte teórica.

Durante essa leitura eu já escolhi qual método usar que me ajudará a fazer minhas revisões, poderá ser: Resumir, Sublinar, Flahs Cards, etc. Desta forma não terá desculpas para não revisar no dia certo.

Semana 02 Segunda Quarta Sexta
Ato Adm/Leitura/Questões Poderes Administrativos/Leitura Poderes Administrativos/Leitura

Na segunda semana começo a Disciplina lendo algo que faltou do assunto, para logo em seguida fazer questões sobre TODO O ASSUNTO, geralmente usando as questões do próprio livro.

Saber escolher as questões a fazer é fundamental, não podem ser muito fáceis para não se enganar nos resultados, nem muito difícil para não frustrar. Por isso as que constam no livro ou pdf lidos já estão, geralmente, em um bom nível.

Com o resultado (percentual de acertos) verifico se é necessário ler outro material (PDF, Vídeo Aula, outro livro, etc). Assim, o leria na próxima revisão.

Terminadas as questões seguia para o próximo assunto (em nosso exemplo Poderes Administrativos começou na quarta feira da segunda semana).

Vamos para a terceira semana:

Semana 03 Segunda Quarta Sexta
Poderes Administrativos/Leitura Ato Adm./Revisão Poderes Administrativos/Questões (primeira revisão deste assunto)

Veja que a Revisão usando um segundo método (já que usamos as questões como primeiro) acontece depois de mais ou menos uma semana que terminou o assunto, neste momento você escolherá qual técnica usar, se Resumo, se a leitura das partes sublinhadas do livro, a confecção de mapas mentais, ou seja, é essencial que no momento da revisão você já tenha em mão o material de revisão, para não ficar confuso e desestimulado, o que faz com que muitos passem para outro assunto só por que não havia se preparado para a revisão.

Essa é uma das formas de Revisão, estabelecida de acordo com o andamento dos assuntos na disciplina.

2. Um dia da semana

Outra forma de Revisar é determinar um dia da Semana para fazer isso.

Escolhendo um dia da semana, independente do “local” em que estiver no assunto, você irá fazer a revisão da semana. Suponhamos que você escolheu o sábado para isso, teremos, como exemplo, um esquema próximo a esse:

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado
Dir. Const Português Rac. Lógico Dir. Const. Português Dir. Const. (Revisão)
Rac. Lógico Dir. Admin. Informática Dir. Admin. Informática Dir. admin. (Revisão)
Rac. Lógico Língua Estrag Dir. Const Português Língua Estrag Informática (Revisão)
Informática Dir. Admin. Rac. Lógico Língua Estran Dir. Admin. Português (Revisão)

Notem que, como o tempo para revisar deve ser menor do que o para estudar, você poderia colocar mais disciplinas no sábado, conseguindo revisar todas as disciplinas que estudou na semana.

Aproveitando o tema de escolher dias da semana, separe um dia também para planejar a semana inteira, separar 01 hora do domingo, por exemplo, pode lhe ajudar muito, principalmente no cumprimento de metas.

3. Mesclar as duas primeiras.

Como já devem ter notado também, nada impede também de usar o primeiro método mesclado ao segundo.

Revisar durante o decorrer da disciplina alguns dos assuntos e escolher algumas disciplinas para reforçar por meio da revisão em um dos dias da semana.

Há também uma revisão que muitos concurseiros esquecem: a que antecede o dia da prova.

É muito importante se planejar para que sobre pelo menos 01 semana (o ideal seriam duas) para fazer a revisão de todo o conteúdo, nesses dias você leria todo o material que produziu, resumos, anotações, cartões, mapas, faria questões, etc. Isso se o estudo começou bem antes do edital e se você conseguiu ler todo o conteúdo lhe sobrando tempo para essa revisão, caso contrário use até o dia para colocar o assunto em dia.

Antes de terminar quero deixar bem claro que estes artigos são apenas uma orientação, não estou dizendo que esta é á única ou a melhor forma de estudar, mas muitas pessoas me procuram querendo este tipo de orientação, e acredito que algumas palavras como estas podem ajudar muita gente a se sentirem mais seguras e conquistar a tão sonhada vaga.

Ah, se gostou do artigo, fique à vontade para compartilhar, sempre é bom espalhar conhecimento.

E para quem está gostando dos artigos creio que gostará também do meu livro (alguns depoimentos sobre o livro), nele você encontra dicas preciosas para sua aprovação. Está sendo vendido em vários sites e  neste link você encontra na própria editora, confere lá.

Grande Abraço!

Artigo escrito por Roniere Miranda

Veja também

Deixe seu comentário