Você sabia que as mulheres sofrem duas vezes mais com ansiedade do que os homens?

As diversas funções de trabalhadora, esposa, mãe, filha, entre outros, são fatores muitos importantes e precisam ser considerados.

Segundo a Associação Americana de Ansiedade e Depressão, mulheres são duas vezes mais propensas a desenvolver transtornos de ansiedade do que os homens e, apesar dos hormônios terem um papel importante nisso, questões sociais acentuam o problema.

Para iniciar esse breve tema permitam-me relembrar em rápidas palavras algo sobre o significado da depressão, que, inevitavelmente está ligado ao tema proposto, para em seguida abordar a ansiedade das mulheres em relação aos homens.


Recorri ao conceito de depressão de José Alberto Del Porto, ele que é professor, pós doutor na Universidade Federal de São Paulo, e ele diz assim sobre o assunto:

"O termo depressão, na linguagem corrente, tem sido empregado para designar tanto um estado afetivo normal (a tristeza), quanto um sintoma, uma síndrome e uma (ou várias) doença(s)."

Acrescenta Del Porto, que os sentimentos de tristeza e alegria colorem o fundo afetivo da vida psíquica normal. A tristeza constitui-se na resposta humana universal às situações de perda, derrota, desapontamento e outras adversidades. Cumpre lembrar que essa resposta tem valor adaptativo, do ponto de vista evolucionário, uma vez que, através do retraimento, poupa energia e recursos para o futuro. Por outro lado, constitui-se em sinal de alerta, para os demais, de que a pessoa está precisando de companhia e ajuda.FOTO: GOOGLE IMAGENS


Mulheres e os transtornos mentais!

Mulheres e os transtornos mentais, um fenômeno ainda sem respostas plenas

Os hormônios femininos estão relacionados tanto com a ansiedade quanto com a depressão. O estrogênio, que é o hormônio responsável pelo desenvolvimento de características femininas, aumenta sua circulação na tensão pré-menstrual, por exemplo, e nessa fase do mês, o sistema nervoso central processa as emoções de forma diferente, principalmente no que diz respeito à resposta ao estresse.

Você mulher, ou quem convive com uma mulher já deve ter percebido isso, mas não sabia o motivo, não é verdade? Pois é, essa maior circulação dos hormônios acaba sendo um gatilho para transtornos mentais.

Os sintomas normalmente são: irritação, aperto no peito, crises de choro, algumas mulheres tem nessa fase um pensamento acelerado e falta de ar, outras já se tornam mais desanimadas e algumas relatam mais medo do que costumam ter normalmente.

Já se sabe hoje que a testosterona, hormônio que os homens têm em quantidades bem maiores que as mulheres, é um importante controlador da ansiedade.

Adicionados aos fatores hormonais ainda temos os fatores sociais que também interferem na incidência maior de ansiedade em mulheres. Elas acumulam papéis, são cobradas demasiadamente pela sociedade para executar com excelência todos eles, também se cobram muito e continuam ganhando menos.

Embora os motivos para o desenvolvimento da ansiedade sejam muito peculiares a cada pessoa, as diversas funções de trabalhadora, esposa, mãe, filha, entre outros, são fatores muitos importantes e precisam ser considerados. Elas buscam mais ajuda do que os homens, mas um percentual muito grande permanece refém desses transtornos e não buscam por tratamento para melhorar.

Infelizmente vivemos em um mundo que ainda diminui o sofrimento da mulher, o que incentiva essa realidade.

Mas não precisa ser assim. Busque autoconhecimento, busque tratamento adequado e garanta sua saúde física e mental. Algumas coisas, só você pode fazer por você mesma.

Veja também

Deixe seu comentário